Acesso à Água
07.06.2017 CE
Famílias agricultoras do Semiárido cearense avaliam Projeto Reúso de Águas Cinzas

Voltar


Por Rikáryo Mourão - comunicador Instituto Elo Amigo

Momento reuniu as 25 famílias beneficiadas que avaliaram a implementação do projeto em suas unidades produtivas | Foto: Rikáryo Mourão

No sábado, 27/05, aconteceu na comunidade rural de Umburana a avaliação e encerramento da implementação de 25 unidades do Projeto de Reúso de Águas Cinzas em várias localidades rurais do município de Iguatu/CE, financiado pela Fundação Banco do Brasil e realizado pelo Instituto Elo Amigo (IEA).

O momento contou com a participação das 25 famílias beneficiadas com a tecnologia que se reuniram na igreja da Umburana, visitaram uma unidade em que já está havendo produção e falaram da experiência vivida com o projeto e como é no dia a dia a rotina da manutenção do filtro e do minhocário que foi mostrado nas capacitações e intercâmbios.

Para a moradora da Umburana, Marinete Inácio Ferreira, que conquistou a tecnologia, o Elo Amigo foi corajoso em trazer esse projeto para as famílias nesse momento ruim da política brasileira que exclui agricultores. “Só tenho que agradecer ao povo do Elo Amigo que buscaram o projeto para nós, nos levaram pra conhecer a unidade lá de Quixeramobim, e que vem ensinando a gente a cuidar da água desde a construção das nossas cisternas de Primeira e Segunda Água. Acredito que falo por todos, muito obrigado a cada pessoa que faz o Elo Amigo e a Fundação do Banco do Brasil”, falou Marinete.

O coordenador do Projeto Reúso do IEA, Francisco Braz, disse que essa primeira iniciativa do Elo Amigo com o reúso foi desafiadora por ser uma nova tecnologia de convivência com o Semiárido no Ceará, durante sua implementação visitaram outras experiências fora do estado e pela avaliação das famílias beneficiadas o projeto conseguiu atingir seu objetivo que é reutilizar quase 40% da água que antes iria para o esgoto e poluir o meio ambiente. “Na avaliação as famílias apontaram algumas poucas modificações técnicas que sempre são visualizadas durante a implementação do projeto, altura da barraca onde fica o humos e cobertura das laterais da unidade que devem ser consideradas na próxima remessa de unidades de reúso”, disse Francisco.

A atividade também contou com a participação de parceiros da Secretaria de Agricultura e Pecuária (SEAP), Rozieldo Oliveira e da professora do Instituto Federal do Ceará de Iguatu (IFCE), Eliani Coelho, que selecionou 11 produtores para serem beneficiados com a tecnologia de umidade e o pirotec (aguador desenvolvido com cano de pirulito) para serem implementadas pelo Time Enactus nos quintais produtivos. “Vamos implementar uma tecnologia que economiza muita água e essa parceria IFCE, SEAP e Elo Amigo vem se fortalecendo e trazendo benefícios para os produtores da agricultura familiar”, afirmou Eliane.

Confira o depoimento de uma das agricultoras contempladas com a tecnologia: